Lição 1 – O LIVRO DE JÓ

Lição 1 – O Livro de Jó
Texto Áureo: “Eis que temos por bem-aventurados os que sofreram. Ouvistes qual foi a paciência de Jó e vistes o fim que o Senhor lhe deu; porque o Senhor é muito misericordioso e piedoso.” (Tg 5.11)
Leitura Bíblica em Classe: 2 Timóteo 3.16; Ezequiel 14.14,19,20; Tiago 5.11.

Introdução: O livro de Jó está classificado como um livro poético conforme se observa na sua literatura. Quanto a autoria do livro de Jó, podemos ver que não faz menção de quem o escreveu, mas pela sua literatura, é possível imaginar que se trata de alguém, com inspiração poética, pelo seu modo de se expressar. Não se pode descartar, embora sem poder afirmar, que o autor seria o próprio Jó. Viveu no tempo patriarcal e, era um criador de ovelhas e outros animais, sendo o seu habitat na terra de Uz dos caldeus, nas regiões de Edom. Jó era um sacerdote a serviço do Deus eterno em sua própria casa, mesmo não fazendo parte da linhagem patriarcal. A mensagem em foco no Livro de Jó, é “Porque o Justo Sofre”, mensagem esta que possui uma didática muito importante para todos nós. No livro a história se desenrola com um monólogo de Jó com os seus três amigos; Bildade; Elifaz; Zofá e mais um quarto amigo de nome, Eliú e finalmente um diálogo com o próprio Deus.
1. As Escrituras são verdadeiras e confiáveis, pois é inspirada por Deus.
2 Timóteo 3.16 Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça;
Paulo afirma pelo Espírito, que toda Escritura é divinamente inspirada, o que significa todos dos seus sessenta e seis livros tem a inspiração divina e nenhum deles deve ser ignorado. Foi escrita por quarenta homens de Deus, em tempos e culturas e lugares diferentes, mas tem toda uma completude, porque o autor é o Espírito Santo. São úteis para ensinar o que é certo, para repreender sobre o que é errado e como se deve permanecer no caminho certo. Quem aplica a palavra no seu coração cresce em santidade e sabe se proteger das astutas ciladas do Diabo.
2. As Escrituras não deixam de identificar os exemplos de homens justos.
Ezequiel 14.14 Ainda que estivessem no meio dela estes três homens, Noé, Daniel e Jó, eles pela sua justiça livrariam apenas as suas almas, diz o Senhor Deus.
A integridade de três homens justos é testificada por Deus através do profeta Ezequiel, o qual falava aos anciãos de Israel. Nessa profecia é descrito os juízos divinos que viria sobre Jerusalém, caso as autoridades religiosas persistissem em se inclinar para a idolatria, quando no seu retorno dos setenta anos de cativeiro. Deus adverte que nenhuma autoridade religiosa de Israel teria condições de conter os Seus juízos, pois sem arrependimento, não se alcança Sua graça. Deus diz que nem Noé, Daniel e Jó, se estivessem ali intercedendo, também não conseguiriam conter os Seus juízos, que não poupariam homens, mulheres e crianças naquele lugar. Nesse caso, os únicos que seriam poupados dos seus juízos, por serem justos e íntegros seriam somente esses três homens de Deus, Noé, Daniel e Jó, caso estivessem na cidade. A retidão desses homens, Noé, Daniel e Jó, apenas livraria as suas próprias vida, mas não poderiam salvar a cidade.
3. As Escrituras revelam que somente os justos se livrarão da ira de Deus.
Ezequiel 14.19 Ou, se eu enviar a peste sobre aquela terra, e derramar o meu furor sobre ela com sangue, para cortar dela homens e animais, Ezequiel 14.20 Ainda que Noé, Daniel e Jó estivessem no meio dela, vivo eu, diz o Senhor Deus, que nem um filho nem uma filha eles livrariam, mas somente eles livrariam as suas próprias almas pela sua justiça.
O quádruplo dos juízos que poderiam vir, envolveriam, a espada, fome, pestilência e animais selvagens. Isso aconteceria se Deus derramasse a Sua ira, os quais seriam terríveis. O julgamento virá e Israel sofrerá os juízos da ira divina e ninguém será poupado, a não ser que seja justo diante do Senhor. Mesmo se a pessoa for justa como Noé, Daniel e Jó, a justiça divina será suficiente somente para o seu próprio livramento, significando que ninguém sendo justo tem condições de livrar quem continua injusto. O Senhor perscruta aqueles cujos corações estão verdadeiramente rendidos a Ele e lhe obedecem. Olhemos para homens que foram exemplos como pessoas justas, como Noé, Daniel e Jó. Todos eles foram provados e mostraram-se fiéis: Noé pelo dilúvio, Daniel, na cova dos leões e Jó pelas provações dolorosas de Satanás. A justiça de Deus se alcança individualmente através da nossa fé e não pode ser imputada a outros, pois é intransferível e de caráter pessoal. A família de Noé entrou na arca porque confiou em Deus, Daniel saiu ileso da cova porque confiou em Deus e Jó no seu sofrimento não amaldiçoou a Deus e sim confiou.
4. As Escrituras diz que é nas provações que se alcança bênçãos de Deus.
Tiago 5.11 Eis que temos por bem-aventurados os que sofreram. Ouvistes qual foi a paciência de Jó, e vistes o fim que o Senhor lhe deu; porque o Senhor é muito misericordioso e piedoso.
Jó é um exemplo de alguém que conseguiu suportar os mais extremos sofrimentos, não sabendo o que estava acontecendo entre Deus e Satanás. As circunstâncias estavam todas contra ele, tais como: a perda dos filhos, da riqueza, da saúde, a esposa pedindo que ele amaldiçoasse a Deus e morresse e mais ainda, os seus amigos o acusando de que estava sofrendo tudo aquilo por estar em pecado. Jó precisou de muita paciência para suportar tudo isso, mas não abriu mão da sua fé no Senhor. Jesus disse que no mundo passaríamos por aflições, mas também disse para termos sempre um bom ânimo, pois Ele venceu o mundo e nós podemos vencer crendo que Ele está conosco até a consumação dos séculos.

Pastor Adilson Guilhermel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *