Jesus, o Homem Perfeito

Lição 12: Jesus, o Homem Perfeito
Texto Áureo: “E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens.” (Lc 2.52)
Leitura Bíblica em Classe: Lucas 2.40-52

Introdução: Jesus ainda menino teve um desenvolvimento progressivo, tanto físico, intelectual e espiritual, num sentido contínuo, pois não havia nele o impedimento pelo pecado, quer herdado ou adquirido. Mesmo tendo sido despojado de todo seu poder, para que realizasse a sua obra salvífica como homem, Ele mantinha uma perfeita harmonia envolvida num amor sem limitação com o Seu Pai e uma coisa que não ocultava de ninguém, era a sua intimidade com o Deus Pai. Jesus sendo fisicamente judeu aos doze anos de idade, assim como toda criança judaica deveriam ter conhecimento do Pentateuco para que na transição da infância para a idade adulta, já assumissem o jugo da lei e isso ele alcançou com pleno conhecimento. Esse conhecimento juntado com a sabedoria foi notório na sua conversa com os doutores da lei.
1. O verbo se fez carne e cresceu tanto no aspecto físico, intelectual e espiritual.
Lucas 2.40 – E o menino crescia e se fortalecia em espirito, cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele.
Jesus cresceu no sentido físico como toda criança normal, como também mantendo uma comunhão com o Pai celeste, ele já exercitava a sua espiritualidade. Ele também se aplicou no conhecimento do pentateuco, como também nos demais livros da antiga aliança, o que era necessário para encher-se de sabedoria, que é a revelação do conhecimento, para chegar a condição de Mestre. Uma mente sem pecado tem condições muito melhores de obter profundos conhecimentos, pois tem uma conexão espiritual com o Espírito Santo.
2. Ele cumpriu os mesmos deveres religiosos dos adultos desde a sua infância.
Lucas 2.41 – Ora, todos os anos, iam seus pais a Jerusalém, à Festa da Páscoa. Lucas 2.42 – E, tendo ele já doze anos, subiram a Jerusalém, segundo o costume do dia da festa.
A lei obrigava todos os homens judeus, a ir a Jerusalém três vezes ao ano para participar de três grandes festas; a Páscoa; o Pentecostes e a do Tabernáculo. Aqui no caso, José e Maria haviam ido na festa da Páscoa, a qual comemorava a libertação de Israel do Egito. Embora a lei não obrigasse as mulheres a participarem podemos ver que Maria estava sempre presente nestas peregrinações ao Templo. Vemos que Jesus na sua tenra idade também seguia com os seus nessa longa caminhada em direção ao templo, já cumprindo assim por vontade própria os mesmos deveres religiosos dos adultos na participação dessa festa, a qual tinha o simbolismo dele próprio, ou seja, o cordeiro pascoal.
3. Ficando sem os pais, Ele desejava dar a primeira indicação da obra a realizar.
43 – E, regressando eles, terminados aqueles dias, ficou o menino Jesus em Jerusalém, e não o souberam seus pais. Lucas 2.44 – Pensando, porém, eles que viria de companhia pelo caminho, andaram caminho de um dia e procuravam-no entre os parentes e conhecidos. Lucas 2.45 – E, como o não encontrassem, voltaram a Jerusalém em busca dele.
O menino Jesus, não focava somente a festa da páscoa, pois era algo que já estava com os dias contados quanto ao seu encerramento lá na cruz. Na realidade a sua preocupação maior era estar de alguma forma mostrando com muita sabedoria a obra que tinha a realizar. Mas para que Jesus pudesse debater com as autoridades religiosas de Jerusalém, ele precisava de desvencilhar de José e Maria e ficar para trás sem que eles percebessem, a fim de realizar os seus propósitos a respeito dos negócios do seu Pai.
4. Ele estava cheio do conhecimento e tinha resposta para todos que o inquiriram. 
Lucas 2.46 – E aconteceu que, passados três dias, o acharam no templo, assentado no meio dos doutores, ouvindo-os e interrogando-os. Lucas 2.47- E todos os que o ouviam admiravam a sua inteligência e respostas.
Jesus ao contrário de outras crianças que preferiam brincar entre elas e quem vive brincando não aprende nada procurou a companhia daqueles que podiam acrescentar os seus conhecimentos e Ele também buscava a melhor parte. Quem busca e anseia pelo conhecimento deve associar-se com aqueles que podem instruí-lo, pois que deseja a instrução só tem coisas boas a acrescentar na sua vida para um futuro promissor. Ele tanto tinha a humildade de perguntar, com também de responder as perguntas que os doutores da lei lhe faziam. Na realidade Jesus deu a esses doutores da lei que se admiravam das suas respostas, um dose de sua sabedoria e de seu conhecimento das revelações da lei. Após esse evento Jesus se recolheria em Nazaré até quando já com os seus trinta anos desse início oficialmente a sua missão sacrificial.
5. Ainda menino, era perfeitamente cônscio da relação entre Ele e o Pai celestial.
Lucas 2.48 – E, quando o viram, maravilharam-se, e disse-lhe sua mãe: Filho, por que fizeste assim para conosco? Eis que teu pai e eu, ansiosos, te procurávamos. Lucas 2.49 – E ele lhes disse: Por que é que me procuráveis? Não sabeis que me convém tratar dos negócios de meu Pai? Lucas 2.50 – E eles não compreenderam as palavras que lhes dizia. Lucas 2.51 – E desceu com eles, e foi para Nazaré, e era-lhes sujeito. E sua mãe guardava no coração todas essas coisas. Lucas 2.52 – E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens.
Os seus pais após terem andado por caminho de um dia é que se deram conta de o menino Jesus não estava entre eles e quando retornam ficam surpresos e admirados de encontrar o menino Jesus entre os doutores, não em pé, mas assentado com eles, o que era um grande privilégio. Sua mãe tenta censurá-lo amorosamente por toda situação preocupante que o menino Jesus lhe causaram, mas prontamente ele retrucou no sentido de que ficou para realizar algo para o Seu Pai Celestial, pois essa missão preliminar antes de ir para a obscuridade se fazia necessária, pois diante daqueles líderes religiosos, ele estava tratando dos negócios do seu Pai aqui na terra. Nenhum negócio para nós deve preceder os negócios do nosso Pai Celestial, pois os outros negócios não pode ser mais prioritários que este. O crescimento de um jovem, não deve só em estatura, mas também em conhecimento das coisas divinas, como fez Jesus. 

Pastor Adilson Guilhermel

Deixe um comentário