ebd.com.br

A Criação de Eva, a Primeira Mulher

A Criação de Eva, a Primeira Mulher
Lição 2 – 12 de Janeiro de 2020
Texto Áureo: Gênesis 2.23 E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne; esta será chamada mulher, porquanto do homem foi tomada.
Leitura Bíblica em Classe: Gênesis 2.18-25

Introdução: Faltava a mulher para Deus concluir a Sua obra da criação e tudo estava dentro dos seus planos. Mas fica uma pergunta acerca disso, a qual seria; por que Deus não fez isso logo que formou o homem? Isso porque, na realidade a mulher seria algo muito especial que estava nos seus planos, mas esse retardamento tinha tudo haver com o homem. Deus deu esse tempo, propositalmente para que Adão sentisse o desejo de ter uma companheira, assim como ele observava em todo reino animal. Diante dessa situação, Adão começou a ser acometido de uma solidão profunda, mesmo tendo tudo a sua mão, ele começou a expressar esse desejo até atingir o ponto que Deus aguardava dele. Deus fez Adão passar por tudo isso, para que desse valor a mulher que receberia para estar ao seu lado e desse o devido valor a ela. Também era para se lembrar da solidão que sentia por falta de uma companheira e nunca pensar em deixar de estar com ela. A criação estava incompleta e se completou com a criação da mulher.
1.  A abundância de deleite do homem não suprem a questão de solidão.
Gênesis 2.18 E disse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele.
Deus demonstra explicitamente que se preocupa com o bem estar do homem, pois Ele conhece o seu interior e sabe qual a sua necessidade, quando está passando por situações conflitivas. Deus não criou o homem para viver em sofrimentos pela ausência de algo que não tem e que deseja ter. O estado de solidão de Adão era algo profundo, pois nada que Deus havia criado para ele, não supria essa solidão, pois só o que poderia lhe espantar esse sentimento, era ter uma companheira para estar ao seu lado. Assim, diante do quadro de solidão em que Adão se encontrava, Deus tomou as providências para dar ao homem o que resolveria o seu problema, que era a falta de uma companheira.
2. Em toda fauna criada não havia um animal combinante com o homem.
Gênesis 2.19 Havendo, pois, o Senhor Deus formado da terra todo o animal do campo, e toda a ave dos céus, os trouxe a Adão, para este ver como lhes chamaria; e tudo o que Adão chamou a toda a alma vivente, isso foi o seu nome. Gênesis 2.20 E Adão pôs os nomes a todo o gado, e às aves dos céus, e a todo o animal do campo; mas para o homem não se achava ajudadora idônea.
Deus deu para Adão o direito de dar nome aos animais, seja os terrestres, alados e anfíbios, como também de exercer domínio sobre todos eles. Desse modo, Adão exerceria um proximidade com os animais, bem como a condição de observar o comportamento de cada um conforme a sua espécie. Com isso ele pode discernir que todos animais eram diferenciados no sentido de macho e fêmea. Pode observar também que o macho andava junto com a fêmea e a fêmea com o macho e nada além disso. Viu também que o macho ao copular com a fêmea, após algum tempo, esta ficava prenha vindo a seguir um filhote. Assim aprendendo com o reino animal a questão de macho e fêmea, Adão sob hipótese alguma iria desejar um macho e sim uma fêmea. Adão pode entender que Deus estabeleceu somente dois gêneros: homem e mulher e que isso não poderia ser mudado, sob pena de entrar em conflito com o Criador. O que passar disso é tentar mudar o curso da natureza, como também é uma afronta ao Senhor Deus.
3. A costela é a parte do corpo mais próximo do coração lugar de afeto.
Gênesis 2.21 Então o Senhor Deus fez cair um sono pesado sobre Adão, e este adormeceu; e tomou uma das suas costelas, e cerrou a carne em seu lugar; Gênesis 2.22 E da costela que o Senhor Deus tomou do homem, formou uma mulher, e trouxe-a a Adão.
Deus ao fazer Adão cair em um sono pesado estava evitando uma dor desnecessária para a extração de uma das suas costelas. Dessa forma Adão em alguma ocasião não poderia dizer que sofreu dor para que a mulher fosse formada de uma parte dele. Assim Deus não formou a mulher a partir da argila, como foi com Adão, mas ela foi formada de uma parte dele. Após a extração da costela de Adão, Deus fechou a carne do local onde a costela foi tirada completando com êxito a Sua obra. A mulher não foi criada e sim formada do homem e para o homem como uma provisão divina para suprir a necessidade dele ter uma companheira para estar ao seu lado. Ela foi formada da costela do homem para ser igual a ele, sob o seu braço para ser protegida e perto do coração para ser amada por ele. 
4. Foi dado o direito para o homem de aprovar e avaliar a sua adjutora.
Gênesis 2.23 E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne; esta será chamada mulher, porquanto do homem foi tomada.
Deus não impôs  a mulher para Adão e sim a trouxe para sua aprovação e, de pronto ele viu nela a solução para resolver os seus problemas de solidão. Também sabia que a mulher era uma parte íntima dele quando disse ser osso dos meus ossos e carne da minha carne e, sendo assim era exatamente o que ele estava desejando. Todo homem e mulher que almejam o matrimônio devem necessariamente buscar em Deus para que essa união não seja contrária ao modelo bíblico. Porque buscando em Deus, Ele vai preparar uma) companhia adequada a personalidade de cada um; mediante esse princípio o casal terá todas as condições de constituir sua família debaixo das bênçãos divinas; também é importante que possa vir pela direção de Deus, para que o casamento não se baseie e paixão sexual, pois paixão não é amor e pode esfriar; o casal também através do seu relacionamento íntimo e amoroso, simboliza Cristo e a Sua igreja, daí importa que o casal seja formado na direção de Deus. Quando a escolha de uma companhia para o casamento for sem a direção de Deus é bem possível que o Diabo se adiante e prepare alguém com a índole que ele gosta e, nesse caso consequências terríveis podem acontecer. 
5. O homem não pode após o casamento ainda viver na tutela paterna.
Gênesis 2.24 Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne.
O casamento é um novo início e não pode ficar preso aos caminhos antigos, pois para ele dar certo é necessário deixar o antigo e lançar-se em o novo a fim de que a vida conjugal venha a ser bem sucedida. Deixar os pais não significa abandoná-los e sim não permitir que haja intromissão na vida conjugal em qualquer das partes, pois isso faria divisões inconvenientes, as quais prejudicaria a construção de um alicerce forte entre os cônjuges. A intromissão dos pais na vida do casal tem prejudicado muitos lares tirando a paz e a harmonia fazendo com que a união vire um tormento, isso também tem provocado muitas separações, que acabam desconstruindo algo que poderia ser solidamente construído, se não houvesse intromissões de alguém numa vida a dois.
6. Sendo o casal uma só carne, não devem ter vergonha íntima mútua.
Gênesis 2.25 E ambos estavam nus, o homem e a sua mulher; e não se envergonhavam.
O casal não pode ter restrições em tudo que envolve a sua intimidade, pois a nudez entre o casal não é, e nem pode ter esse tipo de restrição. Isso porque,  a partir do momento do casamento, os dois se tornam uma só carne, como se um fizesse parte do outro. Essa impecabilidade na intimidade dos cônjuges foi proporcionada pelo próprio Deus, o qual colocou o desejo sexual primeiramente para a multiplicação da raça humana, mas também permitiu que esse desejo se estendesse para que os dois tivessem uma vida prazerosa sexualmente. Sendo assim o casal se ficarem nus na intimidade, não tem nenhuma razão para se envergonhar, pois se trata de algo que o próprio Deus permitiu que assim fosse.

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel